Rua Francisco Iasi, 156 - Pinheiros - São Paulo - SP - Fone: (11) 5181-9880 
 
 
News 
 Home
 A empresa
 Serviços
 Clientes
 News
 Fale conosco
 
 
 

Você sabe o que é “Síndrome dos Edifícios Doentes” ?
Consiste no surgimento de sintomas qua são comuns à população em geral, mas que, numa situação temporal, pode ser relaionada a um edifício em particular. Um incremento substancial na prevalência dos níveis dos sintomas, antes relacionados, proporciona a relação entre o edifício e seus ocupantes

Agência Nacional de Vigilância Sanitária
O que muda com a nova Resolução do Ar Condicionado
Em vigor desde de 25 de outubro de 2000, a Resolução nº 176 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária estabeleceu regras para que os Sistemas de Ar Condicionado central com mais de 5 TR (Toneladas de Refrigeração) ou 60.000 BTU/h não se transformem em ameaça permanente à saúde das pessoas que freqüentam ambientes climatizados artificialmente.
Além de tornar obrigatória, a cada seis meses, análises microbiológica, química e física do ar respirado nos edifícios, o dispositivo estabelece parâmetros claros para uma instalação do gênero ser considerada saudável ou não.
Do ponto de vista biológico, são classificados como impróprios ambientes onde se encontrem acima de 750 UFC (Unidades Formadoras de Colônias) de fungos por metro cúbico, enquanto a contaminação química fica caracterizada de acordo com a concentração de dióxido de carbono verificada, que agora não pode exceder a 1.000 ppm (partes por milhão).
Os fatores temperatura, umidade e velocidade do ar nos ambientes interiores também serão avaliados, o mesmo acontecendo com a existência de contaminantes líquidos ou sólidos como poeira e outros aerodispersóides, com tolerância máxima de até 80 microgramas por metro cúbico de ar.
Já a filtragem dos sistemas terá de ser mais eficiente e os locatários, proprietários e prepostos dos prédios deverão manter um responsável técnico, além de documentação atualizada (PMOC - Plano de Manutenção, Operação e Controle) divulgando aos usuários do imóvel todas as providências tomadas no campo da manutenção preventiva ou corretiva.

Conheça algumas fontes de poluentes biológicos

Agentes Biológicos Principais fontes em ambientes interiores Principais Medidas de correção em ambientes interioes
Bactérias Reservatórios com água estagnada, torres de resfriamento, bandejas de condensado, desumidificadores, umidificadores, serpentinas de condicionadores de ar e superfícies úmidas e quentes. Realizar a limpeza e a conservação das torres de resfriamento; higienizar os reservatórios e bandejas de condensado ou manter tratamento contínuo para eliminar as fontes; eliminar as infrações; higienizar as superfícies.
Fungos Ambientes úmidos e demais fontes de multiplicação fúngica, como materiais porosos orgânicos úmidos, forros, paredes e isolamentos úmidos; ar externo, interior de condicionadores e dutos sem manutenção, vasos de terra com plantas. Corrigir a umidade ambiental; manter sob controle rígido vazamentos, infiltrações e condensação de água; higienizar os ambientes e componentes do sistema de climatização ou manter tratamento contínuo para eliminar as fontes; eliminar ou restringir vasos de contaminados; eliminar ou restringir vasos de plantas com cultivo em terra, ou substituir pelo cultivo em água (hidroponia); utilizar filtros G-1 na renovação do ar externo
Protozoários Reservatórios de água contaminada, bandejas e umidificadores de condicionadores sem manutenção Higienizar o reservatório ou manter tratamento contínuo para eliminar as fontes.
Vírus Hospedeiros humano. Adequar o número de ocupantes por m² de área com aumento de renovação de ar; evitar a presença de pessoas infectadas nos ambientes climatizados.
Algas Torres de resfriamento e bandejas de condensado Higienizar os reservatórios e bandejas de condensado ou manter o tratamento contínuo para eliminar as fontes.
Pólen Ar externo. Manter filtragem de acordo com NBR-6401 da ABNT.
Artrópodes Poeira caseira. Higienizar as superfícies fixas e mobiliário, especialmente os revestidos com tecido e tapetes, restringir ou eliminar o uso desses revestimentos.
Animais Roedores, morcegos e aves. Restringir o acesso, controlar os roedores, os morcegos, ninhos de aves e respectivos excrementos.